» » » » Dupla de argentinos é acolhida em abrigo de Nova Iguaçu e espera ajuda para voltar à pátria

NOVA IGUAÇU - Dois amigos decidem sair da Argentina com destino ao Rio de Janeiro para fazer turismo. A história seria mais uma entre milhares, se não tivesse tido um triste desfecho, como aconteceu com Matias Zandre e Maximiliano Agrain, ambos de 28 anos. Moradores da cidade de Mendoza, no oeste do país de origem, eles chegaram há 27 dias no Brasil. Mas durante um passeio, os amigos foram assaltados, tendo seus documentos, telefones celulares e R$ 1,8 mil, que era todo o dinheiro que tinham, levados pelos bandidos.

Eles afirmam que receberam a informação que o consulado argentino ficava em São Paulo. Desesperados, os amigos seguiram até a cidade paulista de carona para procurar ajuda e ao chegarem lá, não encontraram a sede. Voltaram para o Rio, seguindo para o endereço correto, localizado na Praia de Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. Mas de acordo com eles, o consulado não ajudou como gostariam. “Eles deram R$ 20 para cada e um documento, que serve como passaporte provisório, com validade de 60 dias. O que nos foi afirmado é que não poderiam nos repatriar”, disseram.

Vinda para Nova Iguaçu

A chegada da dupla em Nova Iguaçu começou ainda no início da viajem. Matias e Max contam que amigos que já visitaram o Brasil, afirmaram que em Nova Iguaçu eles poderiam se hospedar por um custo menor, e que a cidade era próximo da praia. “Ao chegarmos, vimos que era preciso pegar dois ônibus para chegar à praia. Então, acabamos ficando por aqui mesmo. Quando saímos do consulado sem o apoio que esperávamos, voltamos para Nova Iguaçu. Por falta de dinheiro, durante três dias ficamos em um posto de gasolina”, contam.

Os funcionários do posto, que possui um restaurante, deram comida e um local para os argentinos dormirem. E foi através deles, que a Prefeitura de Nova Iguaçu tomou conhecimento da situação. Na sexta-feira, dia 27, os empregados do posto de gasolina entraram em contato com uma equipe de reportagem que por sua vez, informou a situação ao poder público. A Secretaria de Assistência Social (Semas) imediatamente levou os amigos para o Centro de Recuperação Porta Estreita, localizado no bairro Miguel Couto, administrado por uma igreja evangélica e que atua com recuperação de dependentes químicos.

De acordo com o pastor Jorge Fernandes, a situação deles precisa ser resolvida com urgência. “Esses jovens estão fora do perfil das pessoas que acolhemos aqui. Por cuidarmos de dependentes químicos, ninguém pode sair daqui. E por eles serem estrangeiros, é perigoso que fiquem andando pela cidade sem documentos e não dominando a língua. Sinto que eles estão muito ansiosos e mal conseguem ficar aqui”, afirma o coordenador da casa, que há 15 anos mantém o espaço.

“As pessoas aqui são muito boas. Somos muito gratos. Mas em Mendoza, temos casa, família e trabalhamos como metalúrgicos autônomos. O início da experiência foi ótima. Mas agora, estamos tristes com a situação. Queremos muito ajuda para voltar para casa. Nossos familiares já foram avisados mas não estão em condições de nos mandarem dinheiro”, finalizam.

Cada passagem para Argentina custa em média, R$ 800. A Semas continua atuando no caso para resolver a situação dos argentinos. Após articulação da subsecretária da Semas, Cristiane Lamarão, e da coordenadora do Centro de População de Rua de Nova Iguaçu (Cetro Pop), Márcia Morgana, o consulado argentino se comprometeu em repatriar a dupla até na próxima terça-feira, dia 7. Até lá, Matias e Max continuam mantidos sob os cuidados da prefeitura.


Via PMNI

About Baixada na Rede

Hi there! I am Hung Duy and I am a true enthusiast in the areas of SEO and web design. In my personal life I spend time on photography, mountain climbing, snorkeling and dirt bike riding.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply

ATENÇÃO: Este comentário será moderado, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Baixada Na Rede. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser excluídos em 3 dias pelos nossos moderadores.