» » » » » » Suspeito de encomendar a morte do patrão em Magé, é procurado pela polícia


MAGÉ - Para tentar localizar um homem suspeito de encomendar a morte do patrão em Magé, na Baixada Fluminense, o Portal dos Procurados divulgou um cartaz com o rosto dele estampado nesta segunda-feira (27). Dalmo Peclat Machado Junior, mais conhecido pelo apelido de Juninho Popó, é considerado foragido desde março, quando a Justiça determinou sua prisão pelo homicídio. É oferecida uma recompensa no valor de R$ 1 mil a quem fornecer informações que ajudem a prendê-lo.

O crime aconteceu em março, no Bairro Piabetá, em Magé. Segundo o Portal dos Procurados, Rogério Santana foi executado com quatro tiros. No dia 10 de julho, a polícia prendeu Jeferson Rangel, o Nafadau, suspeito de assassinar atirar contra a vítima. Ele tria confessado o crime, assumindo atuar como matador de aluguel e afirmando ter sido contratado por Popó para matar Rogério, que o teria demitido.

Popó trabalhava como segurança na empresa de Rogério e, segundo a polícia, quis se vingar da demissão. Apontado pela polícia como principal suspeito, ele teve a prisão decretada em março, quando foi emitido mandado de prisão pela 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias.

O Portal dos Procurados garante anonimato aos denunciantes. Quem tiver informações sobre o paradeiro de Popó pode enviar uma mensagem de texto, vídeo ou fotos por meio do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entrar em contato com a Central Disque-Denúncia pelos números (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital.

Via G1

About Baixada na Rede

Hi there! I am Hung Duy and I am a true enthusiast in the areas of SEO and web design. In my personal life I spend time on photography, mountain climbing, snorkeling and dirt bike riding.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply

ATENÇÃO: Este comentário será moderado, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Baixada Na Rede. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser excluídos em 3 dias pelos nossos moderadores.